Em 1986 Leonidas e Dâmaris casaram e decidiram logo ter filhos. Depois de dois anos tentando, o casal consegue engravidar e no quarto mês de gravidez, durante uma visita à casa de um familiar, foram surpreendidos por um assalto onde 4 homens sob efeito de drogas os prenderam durante 50 minutos e ameaçavam atirar. Aparentemente Dâmaris reagiu bem ao assalto, mas alguns dias depois veio a notícia: ela havia perdido o bebê.

       Após esse fato, Leônidas sente-se chamado para o ministério com dependentes químicos. Já Dâmaris, inicialmente teve dificuldade em aceitar, mas um ano depois, ela entende o chamado e se dispõe.

      O casal começa então a visitar pessoas com problemas de drogas, mas logo percebe que precisariam realmente aprender sobre dependência química. Foi então que  decidiram ir para Portugal e Espanha trabalhar como voluntários, onde aprenderam na prática como é o trabalho com dependentes químicos. Lá, trabalharam em diversas áreas: diretamente com pessoas em tratamento, com seus filhos, pregaram a Palavra de Deus, limparam, cozinharam, fizeram cursos, trabalharam em escritório de triagem, etc.

         Ainda em Portugal, Dâmaris teve um problema de saúde, e passou a tomar uma medicação que segundo o médico, seria para o resto da vida, e que se engravidasse, a criança nasceria mutilada. Decidimos então não ter filhos. Mas havia uma promessa de Deus de que ela seria “mãe de muitos”.

            Depois de quase cinco anos retornaram ao Brasil e após algum tempo Dâmaris dizia sentir que havia sido curada. Foram feitos todos os exames e foi confirmado que não havia mais nenhuma doença ou problema. Ela parou com os medicamentos e o casal esperava em Deus a resposta de suas orações, ainda crendo na promessa de Deus.

            O casal começa então a trabalhar para abrir uma comunidade terapêutica. Foram abençoados pelo PROPAL – Projeto para a América Latina - que inicialmente cedeu o CNPJ para início do trabalho, e enquanto não tinham um local para atendimento a Igreja Evangélica Congregacional do Caramujo pastoreada pelo Pr. Francisco de Assis Leite, cedeu uma sala anexa para atendimento ambulatorial.

            No ano de 1997 o Casal Alcino e Luz Luce da Igreja Evangélica Congregacional do Alcântara, doou uma propriedade em Agrobrasil para que o casal pudesse dar início ao tão sonhado centro de recuperação que tinha o nome CERVHU, (escolhido pelo Pr.Marcos Antônio de Souza).

            Em 10 de janeiro de 1998 Leônidas e Dâmaris inauguram então a comunidade terapêutica CERVHU e em 07 de abril do mesmo ano nasce Júlia, a primeira filha do casal. “Os 12 anos sem filhos, foi propósito de Deus para nos preparar para esse trabalho tão lindo com dependentes químicos” diz Pr Leônidas. 

            Para alegria do casal no ano de 2000, nasce o segundo e último filho, João Vítor. Porém a promessa de Dâmaris ser mãe de muitos não havia se cumprido, dois filhos não são muitos! 

 

            O casal diz: “Hoje entendemos que os muitos filhos que Deus disse que nos daria, são os rapazes que passam pelo CERVHU, que muitas vezes chamam Dâmaris de mãe e para honra e Glória de Deus, Dâmaris é mãe de muitos. Desde o chamado para o ministério com dependentes químicos em 1988, vencemos muitos obstáculos, muito frio (em Portugal e Espanha), às vezes falta de saúde, solidão, saudade, falta de dinheiro, e muitas outras batalhas, porém, continuamos firmes e convictos do nosso chamado, e seguimos guardando a visão. Valeu muito à pena esperar o tempo do Senhor, pois hoje colhemos lindos frutos desse trabalho. Realmente VALEU À PENA!”

História dos Fundadores

Pr Leônidas Duarte, Dâmaris e seus filhos João Vítor e Júlia

© CERVHU. Orgulhosamente criado por Wix.com

Ligue:

(21) 998.594.331

(21) 2745-1065

Endereço: 

Rua 8, Abrobrasil

Cachoeiras de Macacu - RJ